Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

» Para receber os textos do Slow Food Brasil por email, basta você cadastrar seu endereço:


Acompanhe também via: Slow Food Brasil via RSSSlow Food Brasil no TwitterSlow Food Brasil no Facebook

SOLICITAÇÃO DE AFASTAMENTO

Eu, Marcelo Aragão de Podestá, brasileiro, maior, casado, publicitário, portador do RG no MG.10.171.345, inscrito no CPF sob o no 066.144.396-50, residente e domiciliado na Rua Tomás de Aquino, 44, Bairro São Pedro, CEP 30330-312, Belo Horizonte, Minas Gerais, solicito o meu afastamento da Comissão de Avaliação, formada no dia 15 de julho de 2019, responsável por selecionar os prestadores de serviço que executarão as atividades objeto do convênio n.o 772/2018, firmado entre a Companhia de Desenvolvimento e Ação regional – CAR e a Associação Slow Food do Brasil - ASFB, devido o meu interesse em apresentar candidatura para a Solicitação de Manifestação de Interesse 06 e Termo de Referência 06, para o cargo de Designer.

Belo Horizonte, 14 de outubro de 2019

Marcelo Aragão de Podestá

Para acessar o documento na íntegra acesse o link

 

patrimonio-agroalimentar.jpg

Patrimônio agroalimentar é tema de evento realizado em São Paulo (SP)

Debate organizado para a promoção de saberes e práticas tradicionais de preparo de alimentos será aberto ao público

Muito mais do que uma mistura de aromas e sabores. Saberes, práticas, produtos e técnicas ligadas ao preparo de alimentos prometem atrair o público interessado nos modos tradicionais de produção que integram o sistema agroalimentar brasileiro. Parte do conhecimento transmitido ao longo de gerações será compartilhado durante evento gratuito organizado pela Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em São Paulo (Iphan-SP), nos dias 18 e 19 de outubro, com o tema Patrimônio agroalimentar: promovendo saberes e práticas.

Durante o evento, composto por mesas de debate (no dia 18) e feira de produtos com oficina e degustação (19), os visitantes terão contato com detentores do Ofício das Baianas de Acarajé; do Modo Tradicional de Fazer Queijo de Minas; do Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro; e do Sistema Agrícola Tradicional dos Quilombos do Vale do Ribeira. São quatro exemplos dos 48 bens culturais formalmente reconhecidos como Patrimônio Cultural do Brasil registrados pelo Iphan.

Duas novas e importantes legislações federais ligadas aos queijos artesanais de leite cru foram notícia na mídia do País todo, a partir de sua publicação em julho de 2019. Por um lado, produtores comemorando o que seria a virada de jogo para a formalização e expansão do comércio de produtos de origem animal fabricados artesanalmente, e por outro os técnicos da área de inspeção criticando duramente as novas legislações, as quais teoricamente trariam “atrasos” para o sistema brasileiro de inspeção de produtos de origem animal. Antes de comemorar ou criticar, no entanto, precisamos examiná-las com cuidado.

Essas novas leis são o Decreto 9.918/2019 que regulamentou a Lei do Selo Arte, e a Lei 13.860/2019, ou Lei do Queijo Artesanal, que definiu as normas para a fabricação dos queijos artesanais de leite cru no Brasil.

O Decreto 9.918/2019, do Selo Arte é aplicável aos produtos artesanais de origem animal, tais como queijos, salames, linguiças e demais embutidos, pescados, mel, etc. Sua publicação decorreu da necessidade de regulamentar o Artigo 10-A do RIISPOA (Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal), que passou a permitir o comércio interestadual para produtos artesanais de origem animal que possuíssem inspeção oficial (estadual ou municipal), já que anteriormente isto só era permitido para indústrias com SIF ou aderidas ao SISBI (inspeção federal). 

Em função da celebração de convênio entre a Associação Slow Food do Brasil - ASFB e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional - CAR vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural da Bahia - SDR, fazemos a solicitação de manifestação de interesse para compor a equipe do projeto Slow Food na Defesa da Sociobiodiversidade e daCultura Alimentar Baiana, a ser iniciado no segundo semestre de 2019, uma parceria entre ASFB, CAR e FIDA - Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola.

Solicitações de Manifestação de Interesse N°s: 006/2019 e 007/2019 para seleção de profissional conforme resumos abaixo:

SMI 006/2019 – SLOW FOOD
Título: Contratação de Designer
Descrição: O SLOW FOOD BRASIL,  em conformidade com o convênio 772/2018, celebrado entre a Associação Slow Food Brasil e a Cia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), convida os profissionais interessados a manifestar seu interesse em executar o serviço de DESIGNER.
As condições de participação estão descritas na Solicitação de Manifestação de Interesse e no Termo de Referência.
Para esclarecimento de dúvidas, gentileza manter através do e-mail: asfb@slowfoodbrasil.com ou telefone: (11) 9 8233-7195

SMI 007/2019 – SLOW FOOD
Título: Contratação de Coordenador/a Administrativo
Descrição: O SLOW FOOD BRASIL,  em conformidade com o convênio 772/2018, celebrado entre a Associação Slow Food Brasil e a Cia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), convida os profissionais interessados a manifestar seu interesse em executar o serviço de COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA.
As condições de participação estão descritas na Solicitação de Manifestação de Interesse e no Termo de Referência.
Para esclarecimento de dúvidas, gentileza manter através do e-mail: asfb@slowfoodbrasil.com ou telefone: (11) 9 8233-7195

As manifestações de interesse deverão ser feitas até às 23h59 do dia 15 de outubro de 2019, pelo email asfb@slowfoodbrasil.com

O Slow Food preza pela integridade de sua marca e para tal zela pelas parcerias e associações de marca que estabelece, seguindo rígidas diretrizes para captação de recursos

icone_pdf.gifClique e faça download das Diretrizes Slow Food para Captação de Recursos 

1. INTRODUÇÃO
As diretrizes do Slow Food para captação de recursos descrita neste documento é aplicável à todas as atividades do Slow Food em nível local, regional, nacional e internacional. Elas devem ser adaptadas à natureza específica das diferentes divisões da Associação, enquanto mantêm coerência com as diretivas estabelecidas pelo Comitê Executivo do Slow Food Internacional, e deve levar em conta a diversidade política e cultural em diferentes países.
Todas as decisões sobre captação de recursos feitas por quaisquer membros ou divisões relacionadas à Associação devem seguir este documento para sempre estarem alinhados com seus princípios orientadores.
Sujeitos que captam recursos em nome do Slow Food direta ou indiretamente, devem conhecer e observar as diretrizes listadas abaixo. Eles devem trabalhar próxima ao corpo administrativo da Associação e sob sua supervisão.
A respeito dos princípios orientadores da Associação, é importante que um dos objetivos das atividades de captação de recursos seja estabelecer uma relação profunda e duradoura com os apoiadores. É importante que o relacionamento com os apoiadores sejam baseados no mútuo entendimento e estima e ambição em criar uma parceria duradoura para o desenvolvimento em longo prazo da Associação.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s