Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

O VAPRAQ - Valorização dos Produtos Agroalimentares de Qualidade - é um projeto financiado pelo Ministério Italiano do Trabalho, Saúde e das Políticas Sociais, e está sendo realizado no Brasil sob a coordenação da UNITE (Universidade dos Estudos de Teramo) em colaboração com parceiros italianos (Slow Food Italia ) e brasileiros (UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina; AECIT - Associação de Agricultores Biológicos de Santa Catarina; FEABRA - Federação de Associações de Abruzzeses no Brasil). O curso 1 - Utilização dos Produtos Típicos na Gastronomia de Qualidade, conta com a participação de 07 alunos.

Neste curso, ministrei a parte teórica sobre os conceitos de ecogastronomia e os princípios do Slow Food, e incluí uma visita técnica à comunidade do berbigão. O produto está na Arca do Gosto e a comunidade do alimento faz parte da rede Terra Madre . Os objetivos da visita foram a) conhecer a origem de um alimento tradicional e típico da ilha de Santa Catarina; b) ter contato com os extrativistas (pescadores) e conhecer sua realidade produtiva e social; c) degustar preparações típicas usando este alimento e propor novas formas de utilização e valorização do produto e d) entender o conceito da Arca do Gosto.

O texto abaixo foi redigido pelo grupo de alunos do curso, como parte das atividades de avaliação. As fotos também são dos alunos.

Durante o II Terra Madre Brasil , integrantes da Comissão Brasileira da Arca do Gosto estiveram reunidos para avaliar algumas candidaturas e discutir sobre as estratégias do trabalho. Os membros da Comissão presentes avaliaram o funcionamento da mesma e chegaram a conclusão que precisavam de mais cabeças pensantes e atuantes para aprimorar o trabalho. 

Convites foram feitos e aceitos, e agora a Comissão Brasileira da Arca do Gosto tem o prazer em dar as boas vindas para seus novos integrantes:

  • Geraldo Damasceno

Biólogo formado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, com mestrado e doutorado em Biologia Vegetal pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e atualmente coordenador da pós-graduação em Biologia Vegetal. Atua principalmente em programas de pesquisa e extensão que visam o conhecimento e conservação de ambientes inundáveis do Pantanal e florestas estacionais. Tem atuado junto a comunidades ribeirinhas do rio Paraguai no incentivo ao uso da flora local na alimentação e melhoria da renda (programa desenvolvido em conjunto com a ONG ECOA e o CEPPEC - Centro de Produção, Pesquisa e Capacitação do Cerrado - assentamento Andalúcia, Nioaque - MS).

  • Jerônimo Villas-Boas

Ecólogo formado pela UNESP de Rio Claro (SP) e mestre em Gerenciamento Ambiental pela Universidade Federal da Paraíba. Atua na área de ecologia aplicada, agroecologia e sistemas alternativos de produção, em especial com a cadeia produtiva das abelhas nativas sem ferrão. Pesquisa características físico-químicas e sensoriais dos produtos das abelhas, principalmente do mel, e parâmetros para seu controle de qualidade.

  • Mauricio Fonseca

Historiador, indigenista e produtor cultural. Coordenador técnico do projeto "Nhanhoty Jejy - Fortaleza do Palmito Juçara " abrangendo comunidades guarani do Litoral Norte de São Paulo e Vale do Ribeira. Coordenador Geral do Prêmio Culturas Indígenas, vinculado à Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do  Ministério da Cultura, que, entre outras diversas expressões culturais, busca valorizar a culinária e os plantios tradicionais praticados há vários séculos por povos indígenas em todo o Brasil.

  • Paulo Kageyama

Professor Titular da ESALQ - Universidade de São Paulo, com Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado em Biodiversidade Tropical; Membro do Grupo de Experts da FAO/Roma em Conservação de Recursos Genéticos Florestais, Membro da CTNBio- Comissão Técnica Nacional de Biosseguranca deTransgênicos. Tem trabalhado com Pesquisas em Biodiversidade e com Agrobiodiversidade e Sistemas de Produção para a Agricultura Familiar.

  • Rodrigo Oliveira

Ex-estudante de Engenharia e Gestão Ambiental, largou os estudos para cuidar do negócio da família vinda do sertão de Pernambuco, um empório de produtos nordestinos em São Paulo. Formado em Gastronomia pela Univeridade Anhembi Morumbi, foi transformando a casa fundada em 1973 em um restaurante de cozinha regional sertaneja, o Mocotó , onde apresenta os sabores e tradições da sua terra de maneira moderna e criativa.

Confira a formação completa da Comissão Brasileira da Arca do Gosto

Saiba mais sobre a Arca do Gosto

Descubra quais alimentos brasileiros já estão na Arca do Gosto

A segunda edição do Terra Madre Brasil será realizada de 19 a 22 de março de 2010, no Complexo Cultural da FUNARTE em Brasília.

 

O novo site do Terra Madre Brasil entrou no ar. Conheça e divulgue: www.terramadre.slowfoodbrasil.com

 

A partir de agora, quem usa o Twitter pode acompanhar as novidades do Slow Food Brasil também por lá: https://twitter.com/slowfoodbrasil

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s