Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Comida +/= territórios, uma nova geografia do planeta

A oitava edição do Salone Internazionale del Gusto será realizada em Turim (Lingotto Fiere) do dia 21 a 25 de Outubro, em paralelo com o Terra Madre - encontro mundial das comunidades do alimento.

Os dois eventos bienais representam um momento único e interligado.

A exposição mercado internacional, aberta ao público, vitrine da produção enogastronômica artesanal e de qualidade, forte na sua conotação didática, de sensibilização e debates, será realizada em concomitância e ao lado do evento Terra Madre que reúne todos os atores da cadeia agroalimentar de 150 países, comprometidos em defender e promover modos de produção que respeitam o meio-ambiente, atentos aos recursos naturais do planeta, à conservação da biodiversidade e justiça social. Somente no Terra Madre estarão reunidas cerca de 7mil pessoas, entre pequenos produtores, agricultores, pescadores artesanais, cozinheiros, pesquisadores e ativistas do Slow Food.

A quarta edição do encontro mundial da rede de Terra Madre se realizará em Turim (Itália) de 21 a 25 de outubro de 2010, simultaneamente ao Salone del Gusto.

O encontro irá reunir, durante cinco dias, comunidades do alimento, cozinheiros, docentes, jovens e músicos do mundo inteiro, pessoas empenhadas em promover uma produção alimentar local, sustentável, em harmonia com o planeta e que respeite os saberes transmitidos de geração em geração.

Entre as novidades de 2010, o papel das diversidades culturais e linguísticas, e a proteção das etnias, dos idiomas autóctones, a valorização da oralidade e da memória.

São necessários novos paradigmas para tornar menos impactante a nossa presença na Terra. Hoje, quase todos se deram conta disso, e não é mais apenas uma exclusividade das "Cassandras" ambientalistas: é uma coisa transversal às inclinações políticas e às ideologias.

E é uma coisa que começa até a se demonstrar vantajosa, já que a frente do interesse econômico - sempre o mais duro a se abater - também está lentamente se deslocando nessa direção. É bom saber que uma parte do mundo científico trabalha para nos recolocar em harmonia com o meio ambiente, estudando soluções de grande empenho, decididamente fora do porte do homem comum. Porém, acredito que é justamente a relação com o homem comum, prescindindo da grandeza e da justeza das invenções, que é o ponto chave.

É com o diálogo entre reinos da ciência e dos saberes tradicionais que se levará a cumprimento um projeto tão ambicioso. Graças à união de uma pesquisa de alto perfil com as boas práticas que podemos cotidianamente colocar em ação criaremos os novos paradigmas. Por exemplo, até podem ser estudadas todas as melhores técnicas de descarte de dejetos, mas se cada um de nós não se comprometer a reduzir o volume do que joga no lixo, ou aprender a desperdiçar menos, nunca teremos saída.

Em Florianópolis, um grupo de revolucionários mostra que existem alternativas viáveis, e transformam o lixo em ouro: composto orgânico, educação e cidadania.

Muito se fala sobre o lixo reciclável e seu impacto no meio-ambiente e na economia. Aconteceram campanhas intensas sobre reciclagem, realizadas tanto pelo poder público como pela sociedade civil. Associações de catadores vivem dos recursos provenientes da coleta e venda dos resíduos, e tem arte e artesanatos lindos feito com o material. Agora não é mais tão esquisito recusar a sacolinha plástica no comércio, muita gente separa o lixo, e se não estou enganada o Brasil é campeão em reciclagem. Ainda falta muito para resolver o problema, mas um caminho longo já foi trilhado.

Mas e o lixo orgânico? O que se faz com ele? Qual o seu destino? Nas cidades de modo geral, o lixo orgânico - juntamente com o material reciclável que não foi separado - é (ou deveria ser) recolhido por empresas contratadas pelas prefeituras, precisa ser tratado e devidamente descartado em aterros sanitários.

O descarte inadequado do lixo orgânico tem sérias conseqüências para os seres humanos e para o meio ambiente. O acúmulo do lixo orgânico e sua decomposição causam mau cheiro; proliferação de insetos, bactérias, fungos; aparecimento de ratos e baratas; produção de chorume que por sua vez pode contaminar o solo, a água e os lençóis freáticos.

Além disso, para a implantação de aterros sanitários é preciso utilizar áreas cada vez maiores, usualmente distantes dos centros urbanos. O impacto social, ambiental e econômico do uso desta área é enorme, pois tanto a paisagem quanto o uso da terra são comprometidos.

Em Florianópolis, um grupo de Revolucionários mostra que existem alternativas viáveis, e transformam o lixo em ouro: composto orgânico, educação e cidadania.

O VAPRAQ - Valorização dos Produtos Agroalimentares de Qualidade - é um projeto financiado pelo Ministério Italiano do Trabalho, Saúde e das Políticas Sociais, e está sendo realizado no Brasil sob a coordenação da UNITE (Universidade dos Estudos de Teramo) em colaboração com parceiros italianos (Slow Food Italia ) e brasileiros (UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina; AECIT - Associação de Agricultores Biológicos de Santa Catarina; FEABRA - Federação de Associações de Abruzzeses no Brasil). O curso 1 - Utilização dos Produtos Típicos na Gastronomia de Qualidade, conta com a participação de 07 alunos.

Neste curso, ministrei a parte teórica sobre os conceitos de ecogastronomia e os princípios do Slow Food, e incluí uma visita técnica à comunidade do berbigão. O produto está na Arca do Gosto e a comunidade do alimento faz parte da rede Terra Madre . Os objetivos da visita foram a) conhecer a origem de um alimento tradicional e típico da ilha de Santa Catarina; b) ter contato com os extrativistas (pescadores) e conhecer sua realidade produtiva e social; c) degustar preparações típicas usando este alimento e propor novas formas de utilização e valorização do produto e d) entender o conceito da Arca do Gosto.

O texto abaixo foi redigido pelo grupo de alunos do curso, como parte das atividades de avaliação. As fotos também são dos alunos.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s