Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

O desperdício de alimentos é uma preocupação séria no Brasil. A quantidade de matéria-prima desperdiçada entre início e o fim da cadeia de produção/abastecimento é surpreendente. Felizmente, alguns chefs bem conhecidos estão espalhando a consciência e trabalhando para resolver o problema.

A imagem pode conter: 22 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

No dia 19 de março ocorreram visitas a três propriedades rurais produtoras de cambuci, que englobam a região de Parelheiros (zona rural da capital paulista) e Embu-Guaçu, município vizinho a São Paulo.

Captura de Tela 2017-03-26 às 22.19.48.jpgCambuci, fruto da Mata Atlântica ainda desconhecido por muitos (Foto: Dinho Souto / Ascom Sead)

As visitas ocorreram para integrarem a Fortaleza do Cambuci, no âmbito do projeto Alimentos bons, limpos e justos: ampliação e qualificação da participação da agricultura familiar brasileira no movimento Slow Food, financiado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (SEAD) com gestão compartilhada da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Slow Food além destas instituições ainda estiveram presentes representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), do Instituto Auá e da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (CODEAGRO) de São Paulo.

Enquanto parte da população sofre de fome, todos os anos um terço dos alimentos destinados ao consumo humano é jogado fora: 1,3 bilhões de toneladas de alimentos se tornam lixo. Ao mesmo tempo, de acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), só produzimos alimentos suficientes para abastecer a crescente população mundial até 2050. Está claro que temos uma grande contradição a nossa frente.

Entenda o Projeto Revolução dos Baldinhos e saiba como colaborar 

Fonte: Revolução dos Baldinhos 

Fonte: http://juntos.com.vc/pt/baldinhos

Sobre a campanha

A Revolução dos Baldinhos solucionou um problema de saúde pública decorrente do acúmulo de resíduos orgânicos nas ruas da comunidade Chico Mendes, uma das localidades com pior IDH do município de Florianópolis/SC. Apesar da relevância local e reconhecimento nacional, o projeto não recebe apoio financeiro dos órgãos públicos ou qualquer tipo de remuneração pelos serviços ambientais prestados. Assim, sua sustentabilidade financeira ainda depende de recursos vindos de projetos articulados pela ONG Cepagro.

Com a finalização do último desses em dezembro de 2016, lançamos esta campanha para que as atividades não sejam interrompidas e que este modelo de gestão comunitária de resíduos orgânicos continue inspirando iniciativas em todo país. Para que esta iniciativa continue acontecendo, contamos com você! Saiba como colaborar clicando aqui. 

Sobre a Revolução dos Baldinhos

O Convívio Engenhos de Farinha/SC juntamente com a equipe do Cepagro está facilitando a nova fase de articulação e fortalecimento das famílias e instituições detentoras do patrimônio cultural agroalimentar ligado aos Engenhos de Farinha de Mandioca de Santa Catarina e parceiros. O último encontro ocorreu nos Areais da Ribanceira, em Imbituba, comunidade que entrelaça diversos nós da Rede Slow Food Brasil acumulando a comundiade  do alimento da Farinha Polvilhada, Bijajica e Butiá. 

Confira a matéria de Carolina Dionísio, jornalista do Cepagro e membro do Convívio Engenhos de Farinha, replicada do blog https://engenhosdefarinha.wordpress.com

acordi

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s