Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

» Para receber os textos do Slow Food Brasil por email, basta você cadastrar seu endereço:


Acompanhe também via: Slow Food Brasil via RSSSlow Food Brasil no TwitterSlow Food Brasil no Facebook

 

Sustentabilidade em pauta na primeira Virada do Cerrado

Mais de 30 entidades, incluindo o convívio Slow Food Cerrado, são parceiras da Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal na realização da Virada do Cerrado, que acontece de 11 a 13 de setembro com programação colaborativa.

Fortaleza do Guaraná

sergio batista garcia brazilian youth indigenous

 

Sérgio é indígena da tribo Sateré-Mawé na cidade de Parintins, Amazonas. O povo Sateré-Mawé criou há 25 anos um projeto de etnodesenvolvimento para auto-organização social e econômica. O principal produto do projeto é o guaraná (Waraná), que originalmente é uma planta domesticada pelos Sateré-Mawé para cultivo. O projeto está localizado dentro da terra indígena Andirá Marau baixo, entre os estados do Amazonas e Pará.

Ele trabalha ativamente com a comunidade e faz parte da associação de produtores, o CONSELHO GERAL DA TRIBO SATERÉ-MAWÉ-CGTSM E CONSÓRCIO DOS PRODUTORES SATERÉ-MAWÉ – CPSM

Trabalha como tesoureiro, representante do comércio justo e solidário, além de ser responsável pelo controle interno para o certificado de orgânico.

O Guaraná faz parte da Arca do Gosto brasileira e também foi criada a Fortaleza do Guaraná , um dos mais importantes produtos do brasil exportado, comercializado e reconhecido no mundo por sua excelência.

O objetivo é preservar o guaraná autêntico produzido na terra onde ele nasce e cresce naturalmente, pelas pessoas que descobriram suas virtudes há tanto tempo, e que também inventaram as técnicas mais adequadas para plantá-lo e processá-lo.

Sérgio tem muito orgulho de seu povo e suas origens, ele é um dos poucos jovens que ainda se pinta e se qveste dentro das tradições indígenas.

 

Saiba mais sobre o Terra Madre Jovem e apoie a participação de jovens como o Sérgio :www.wefeedtheplanet.com

 

Repetindo o sucesso da primeira edição, o Slow Food Cerrado lança a 2ª edição do Festival Gastronômico Cerrado Week de 11 a 20 de setembro. Os brasilienses terão 10 dias para percorrer padarias, cafés, bares e restaurantes que já confirmaram presença no roteiro que promete dar amplitude aos sabores do cerrado, considerado o 2º maior bioma da América do Sul.

Terra Madre Jovem - We Feed the Planet

Tarsila Lima brazilian youth cook teacher

Tarsila começou a trabalhar muito jovem e desde os 18 anos trabalha como cozinheira. Para ampliar sua atuação profissional cursou a faculdade de Gastronomia na Universidade Federal da Bahia.

Já formada começou a dar aulas de cozinha para inclusão social trabalhando inicialmente com deficientes intelectuais.

Ano passado ela começou a trabalhar no projeto Gastromotiva, onde conheceu o Slow Food. Desde então ela promove em suas aulas os princípios do alimento bom, limpo e justo mostrando a população carente que é possível de segui-los. Nas suas aulas a comunidade toda participa, crianças, jovens e adultos. Pais e alunos aprendem a importância de uma boa alimentação para evitar a desbutrição e má nutrição infantil, obesidade entre outras doenças decorrentes dos hábitos alimentares. Também aprendem a valorizar os produtores e as feiras locais, a culinária e alimentos regionais.

As aulas acontecem a cada 3 meses em diversos bairros de Salvador atingindo um grande número de pessoas e a mídia local, como rádio e TV. Tarsila acredita que o alimento pode ser uma excelente ferramenta para educação e transformação social.

 

Saiba mais sobre o Terra Madre Jovem e apoie a participação de jovens como a Tarsila. Doe para a Campanha no site :www.wefeedtheplanet.com

Terra Madre Jovem - We Feed the Planet

guilherme ferreira brazilian youth cheese producer copy

Guilherme é médico veterinário e produtor de queijo minas artesanal na cidade de São Roque de Minas, uma das principais cidades da Serra da Canastra, berço da nascente do Rio São Francisco.

A queijaria da sua família foi a primeira da Serra da Canastra a ser registrada no SISBI - Sistema Brasileiro de Inspeção.

Recentemente o queijo minas artesanal do Capim Canastra foi premiado com medalhas de prata no Mondial Du Fromage, na cidade de Tours na França, sendo o primeiro queijo artesanal brasileiro a conquistar uma premiação internacional. Significando uma verdadeira conquista para todos os produtores que mantém viva essa tradição apesar de todas as dificuldades enfrentadas na produção de queijos artesanais brasileiros.

Guilherme representa o elo jovem de uma tradição queijeira, ele é a quinta geração da família na produção do queijo canastra e não pretende parar tão cedo.

 Saiba mais sobre o Terra Madre Jovem e apoie a participação de jovens como o Guilherme :www.wefeedtheplanet.com

 

Foto: Débora Pereira - SerTãoBras

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s