Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Mudar hábitos de compra e consumo quando se trata de peixe não é certamente fácil.

No entanto, vale a pena fazer o esforço, não só para proteger os recursos, mas também porque pode ser conveniente do ponto de vista econômico.

Espécies negligenciadas são menos comuns (e menos caras!) do que o atum ou salmão mais célebre, mas elas podem ser tão deliciosas quanto. Capturá-los não prejudica diretamente os ecossistemas marinhos. Dando-lhes uma chance no mercado ao decidir comprá-los significa aliviar a pressão sobre as espécies que sofrem com a sua fama e ajuda a reduzir as devoluções, que são, em parte, devido à falta de demanda comercial por peixes poucos conhecidos.

Ao mesmo tempo, o peixe deve garantir pagamento justo para os  pescadores, especialmente porque muitas vezes eles operam em condições difíceis e perigosas. Muitos, chocados com a diferença entre o dinheiro que recebem e os preços de seus peixes em balcões de supermercados, estão tentando encurtar a cadeia de distribuição: oferecendo suas capturas diretamente para os mercados, organizando-se em cooperativas para gerir os seus próprios pontos de venda, trabalhando diretamente com restaurantes em vez de passar por atravessadores ou participando de grupos de compra coletiva de alimentos.

Saiba mais, é conveniente! Graças às cadeias de distribuição curtas você paga menos, come peixe extremamente fresco e garante um melhor salário para os pescadores. Sem mencionar que o contato com esses grandes especialistas do mundo aquático permitirá que você  entenda melhor o que está por trás do peixe em seu prato.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s