Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Quanto mais fresco for o peixe, melhor será para a saúde e o paladar

No Brasil existe uma lei desde 1952 que regula em todo o território nacional as normas para inspeção  industrial e sanitaria de produtos de origem animal. Desde então a normas para o setor sofrem alterações e o produtor deve adequar-se às mesmas.  O setor em crescente expansão reforça a necessidade de que novas normas sejam estipuladas, como para os pescados congelados  e provenientes de outros países.   

Os peixes vendidos embalados devem ter algumas informações técnicas além da composição nutricional.  Como algumas espécies  estão em perigo de extinção e,  portanto, merecem estar protegidas o Ministério da Agricultura reconheceu por meio da portaria nº 3, de  26/05/03 , bem como a instrução normativa nº 5, de 21/05/2004, a garantia de preservação destas espécies.    

Para sermos consumidores responsáveis, sempre que possível temos de escolher cadeias de distribuição curtas, capazes de garantir a origem e o frescor dos frutos do mar e dos peixes.

Aqui estão algumas dicas para reconhecer o peixe fresco:

Em geral, tente comprar peixe inteiro, em vez de filés: é mais fácil dizer se ele é  fresco e custa menos.

Se você quiser filés, um peixeiro bom será capaz de cortá-los para você.

Quando você comprar peixe fresco, avalie as seguintes características:

Odor: o peixe fresco deve ter um ligeiro aroma do mar e algas marinhas e nunca deve apresentar odor desagradável.

Aparência geral: o peixe fresco é brilhante e úmido, com uma superfície ligeiramente viscosa. Ele deve ser firme ao toque, quando não está fresca, a carne torna-se suave e tende a se desfazer.

Olhos: devem ser claros, brilhantes. Fique longe de pupilas escuras e olhos opacos.

Brânquias: localizadas na base da cabeça,devem possuir coloração vermelha ou rosa pálido, devem ser brilhantes e úmidas, não pegajosas ou descoloridas. Verificar as brânquias é uma das maneiras mais fáceis e eficazes de confirmar o frescor.

Escamas: se presentes, estas devem estar firmes e bem aderidas ao peixe.

Carne: esta deve ser firme e elástica ao toque. Em filés, é difícil julgar a consistência da carne. No entanto, dependendo da espécie, deve ser de uma cor branco pérola, com leve tom rosado próximo à coluna vertebral.

Um peixe sem os órgãos internos deve ter uma cavidade abdominal de coloração pálida.  Se houver vestígios de sangue , este deve ser vermelho vivo, enquanto a espinha dorsal deve estar firmemente ligada à carne.

Para manter o peixe fresco por mais tempo, transporte em uma embalagem térmica. Assim que você chegar em casa ou no restaurante, remova cuidadosamente todos os órgãos internos, lave-o em água corrente e, em seguida, seque-o.  Armazene os peixes na parte inferior do refrigerador, embrulhado em papel de alumínio, e o utilize em três dias, no máximo.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s