Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

O Slow Food preza pela integridade de sua marca e para tal zela pelas parcerias e associações de marca que estabelece, seguindo rígidas diretrizes para captação de recursos

icone_pdf.gifClique e faça download das Diretrizes Slow Food para Captação de Recursos 

1. INTRODUÇÃO
As diretrizes do Slow Food para captação de recursos descrita neste documento é aplicável à todas as atividades do Slow Food em nível local, regional, nacional e internacional. Elas devem ser adaptadas à natureza específica das diferentes divisões da Associação, enquanto mantêm coerência com as diretivas estabelecidas pelo Comitê Executivo do Slow Food Internacional, e deve levar em conta a diversidade política e cultural em diferentes países.
Todas as decisões sobre captação de recursos feitas por quaisquer membros ou divisões relacionadas à Associação devem seguir este documento para sempre estarem alinhados com seus princípios orientadores.
Sujeitos que captam recursos em nome do Slow Food direta ou indiretamente, devem conhecer e observar as diretrizes listadas abaixo. Eles devem trabalhar próxima ao corpo administrativo da Associação e sob sua supervisão.
A respeito dos princípios orientadores da Associação, é importante que um dos objetivos das atividades de captação de recursos seja estabelecer uma relação profunda e duradoura com os apoiadores. É importante que o relacionamento com os apoiadores sejam baseados no mútuo entendimento e estima e ambição em criar uma parceria duradoura para o desenvolvimento em longo prazo da Associação.

2. DEFINIÇÕES
Um pré-requisito essencial à boa captação de recursos é que os apoiadores (sejam autoridades públicas, fundações, negócios, associações ou indivíduos particulares) acreditem no trabalho do Slow Food como importante e útil e assim decidam apoiá-lo financeiramente.
O apoio pode ser por meio de uma contribuição monetária às atividades do Slow Food ou a algum projeto específico (incluindo formas de patrocínio), ou pela compra de serviços (por ex. publicidade em publicações eletrônicas ou impressas, estandes em eventos, etc) ou como doação independente de qualquer forma de recompensa. Além disso pode ser também pelo fornecimento gratuito de suprimentos de bens e serviços.
Slow Food pode oferecer visibilidade aos apoiadores em meios que devem ser definidos caso a caso. A fim de assegurar a independência e sustentabilidade financeira, é recomendado que os apoiadores financeiros sejam provenientes de uma grande gama de diferentes fontes e que seja o mais diversificado possível, com contribuições de autoridades públicas, fundações, negócios, associações e indivíduos.

3.PRINCÍPIOS GERAIS
Dois princípios fundamentais sobre as atividades de captação de recursos do Slow Food devem ser consideradas obrigatórias em qualquer lugar do mundo e em todos os níveis da estrutura da Associação (local, nacional, internacional):

- Nenhum apoiador do Slow Food pode influenciar, sob nenhuma perspectiva, a decisão da Associação, sua atividade e sua independência; Slow Food detém total independência de seus apoiadores.
- Sujeitos ou entidades cujas operações são claramente conflituosas com a filosofia e atividades do Slow Food não podem ser apoiadores do Slow Food.

Essas duas regras não são suficientes, também sendo necessária a manter um engajamento e reflexão contínuos com os apoiadores, algo útil para ambas as partes. A situação ideal é aquela na qual o Slow Food pode influenciar positivamente sobre as decisões de seus apoiadores.
Exemplo simples, mas não limitado a essa situação, são as doações e colaborações de qualquer natureza que não podem ser aceitas de nenhuma entidade legal que:
• seja uma instituição, fundação ou qualquer outra organização relacionada às empresas transnacionais da alimentação e agricultura.
• estejam direta ou indiretamente relacionadas a grandes corporações de ultraprocessados tais como fundações, institutos e marcas secundárias;
• produza ou venda OGMs (Organismos Geneticamente Modificados) ou se utilize das novas biotecnologias;
• produza ou venda armamentos;
• viola regulações sobre descarte de resíduos;
• viola convenções internacionais sobre direitos humanos, de propriedade e trabalhistas;
• viola direitos fundamentais ou estão sendo processadas ou sejam condenadas por sérias violações legais;
• com contribuição para causar desastres e poluição ambientais.


As Diretrizes ainda abordam sobre: 

4. APLICAÇÕES ESPECÍFICAS
4.1 Negócios
4.2 Fundações filantrópicas
4.3 Instituições públicas
4.4 Doações de indivíduos particulares
4.5 Outras considerações

5. TRANSPARÊNCIA E RESPONSABILIDADE

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s