Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Almoço na Chácara Colina

Texto:  Darlana Godoi/ Fotos: Luciana Ferreira

Tivemos, antes do almoço, uma aula do Seu Luiz sobre a diferença do ovo caipira para o ovo orgânico. Ele explicou que os ovos da chácara são caipiras, mas não são orgânicos.  Os “Ovos Orgânicos” são produzidos por galinhas alimentadas com alimentação orgânica das aves (todos os seus alimentos são produzidos sem o uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos). Os ovos dele não são considerados orgânicos, são "ovos caipiras", pois ele dá ração para as galinhas e esta não é orgânica, mas a ração é só parte da alimentação das galinhas dele, pois elas podem ciscar e “pastar” pelo terreiro, sendo também alimentadas com restos da produção agrícola e ele também não usa remédios para o crescimento ou antibióticos.

Leia mais:Almoço na Chácara Colina

Slow Food Cerrado visita a Chácara Colina

Texto de Maria Cristina Vannucchi Leme/ Fotos: Luciana Ferreira

Shitake. Foto: Luciana FerreiraNós já havíamos anunciado os produtos da Chácara Colina no nosso site e já tivemos uma Quinta Slow com os produtos de lá, faltava a visita à Chácara, conhecer as pessoas que produzem um shitake pra lá de especial e, principalmente, comer framboesa no pé.

Assim, no sábado (27/08) liderados pela Darlana Godói, rumamos para Brazlândia, em caronas solidárias.

A Chácara é tocada pela família da Tainá com a ajuda de alguns trabalhadores que, somados não chegam a dez pessoas.

Fizemos um circuito pela propriedade, percorrendo detidamente os canteiros, enquanto recebíamos explicação sobre o sistema orgânico de produção. As verduras são variadas e, apesarAula sobre shitake. Foto: Luciana Ferreira da secura que castiga o cerrado nesta época do ano, estão exuberantes. Algumas verduras eram “inéditas” para muitos de nós. Foi difícil distinguir as folhas do inhame com as da taioba (essas têm “decote em V”).

Margeando a horta e espalhados pela chácara, conhecemos os pés de astrapéia (não confundir com a flor astromélia!), que fazem parte do “pasto apícola”, formado por plantas que produzem néctar e/ou pólen para as abelhas. Ou seja: na Chácara Colina eles cultivam plantas para alimentar as abelhas, cuja criação está incipiente.

O cultivo do shitake mereceria um capítulo a parte. Legal demais! O substrato do shitake são toras de madeira. São feitos furinhos nas toras, onde são introduzidos os esporos dos cogumelos. Os furos são tapados com cera de abelha (e não me lembro mais o quê), em seguida as toras são empilhadas como se fossem fogueira junina. Passado um tempo, as toras com os fungos inoculados, são submetidas a um choque térmico para simular um inverno rigoroso, inexistente nos trópicos. Garrafas pet servem de forma para o gelo e são colocadas junto com as toras para um banho de água gelada em banheiras e cochos. Depois as toras recebem uma pancada (pancada mesmo, com marreta de madeira) para “acordarem”. E zás! Os chapeuzinhos de shitake começam a crescer, após romperem as tampinhas dos furos. A Chácara Colina utiliza toras de mangueira, ao invés de eucalipto. Fundamental usar uma madeira que não solte a casca, caso contrário a casca se desprende levando junto os esporos. O resultado são cogumelos com um sabor único, sabendo levemente a alho.

As framboesas! Acreditam que na véspera da nossa chegada, o tratorista arrasou-as? Cortou-as rente ao chão, pois as considera como pragas. “Crescem a toa e atrapalham o caminho”. O chão estava todo salpicado de frutinhas vermelhas e nos contentamos em catar as sobreviventes. E eu que havia feito planos para elas...

No Slow Filme - Jantar com o Chef Francisco Ansiliero

O Slow Food Pirenópolis, juntamente com a organização do Slow Filme - Festival Internacional de Cinema e Alimentação - e o Restaurante Empório do Cerrado convidam a todos para um jantar preparado pelo Chef Francisco Ansiliero, do Restaurante Dom Francisco, de Brasília, no dia 16 de setembro. 

A renda do jantar será revertida para o apoio à participação de produtores de queijos artesanal de leite cru no I Simpósio de Queijos Artesanais do Brasil, que será realizado em Fortaleza entre os dias 23 e 25 de Novembro.

CARDÁPIO

Entrada:

- Salada de Bacalhau (Gadus morhua

Pratos principais:

- Lombo de Pirarucu* ao leite de castanha do Brasil com musseline de cará

- Brasato de Acém de Bonsmara com Arroz de grãos

Sobremesa:

- Pudim de Jatobá* com mel de Tiúba.

* O Pirarucu e o Jatobá são produtos brasileiros na Arca do Gosto, um catálogo mundial do Slow Food que identifica, localiza, descreve e divulga sabores quase esquecidos de alimentos ameaçados de extinção.

Data: Sexta-Feira, 16/09Horário: 22h
Local: Restaurante Empório do Cerrado
Valor: mínimo R$ 65,00 (bebida não incluída)

Lugares limitados. Reservas: (62) 3331.3094, com Magda, ou pelo email mfkaruz@globo.com.

Em Setembro tem Slow Filme em Pirenópolis

Entre os dias 15 e 18 de setembro, acontece em Pirenópolis (Goiás) a segunda edição do Slow Filme - Festival Internacional de Cinema e Alimentação. O site com a programação de filmes e a programação paralela já está no ar: http://www.slowfilme.com.br/

O Slow Food Pirenópolis, o Slow Food Cerrado e o Slow Food Campo Lindo Batatais estão colaborando com a equipe do Slow Filme, principalmente na organização das atividades paralelas.

Dentre os filmes, todos ótimos, é importante destacar o "Mulheres da Terra" de Márcia Paraíso, que mostra mulheres do Movimento das Mulheres Camponesas, e o "A Horta do Seu Geraldo", que fica ali mesmo em Pirenópolis e é linda (e cheia de alimentos deliciosos).

Nas atividades paralelas, os 3 convivia estão diretamente envolvidos na organização das seguintes atividades:

15 de Setembro - Quinta-Feira

VISITA À FEIRA AGROECOLÓGICA

Realizada só às quintas-feiras, das 16h às 20h. Ocasião para conhecer a produção de frutas e hortaliças orgânicas, feita por produtores locais, beneficiários da Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS).

Local: Praça do Pequizeiro, Vila Matutina (próximo ao Batalhão dos Bombeiros)

OFICINAS SENSORIAIS
Atividades lúdico-educativas desenvolvidas com os participantes do festival e nas escolas, estimulando os sentidos para degustação de alimentos bons, limpos e justos.

16 de Setembro - Sexta-Feira

DEGUSTANDO O CERRADO
Debate sobre os produtos do cerrado com produtores e especialistas, seguido de coquetel com frutos do cerrado elaborado por alunos do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia da Universidade Estadual de Goiás - UEG - Unidade Pirenópolis.

Horário: 9h30min
Local: Auditório da UEG
Valor: R$ 15,00
Reservas: (61) 8157.9333 ou carvalhofrances@hotmail.com

JANTAR ITALIANO COM FRANCISCO ANSILIERO
Com renda revertida para participação de produtores no 1º Simpósio de Queijos Artesanais do Brasil, (Fortaleza, de 23 a 25 de novembro).

Horário: 22h
Local: Restaurante Empório do Cerrado
Valor: R$ 65,00

Reservas: (62) 3331.3094, com Magda, ou pelo email mfkaruz@globo.com.

17 de Setembro - Sábado

FARINHADA NA FAZENDA CUSTÓDIO SANTOS*

A proposta é participar da produção artesanal de farinha de mandioca, valorizando a atividade dos produtores rurais e destacando a importância e a riqueza deste alimento. Um almoço com produtos agroecológicos encerra a atividade.

* Na comunidade do Caxambu, que integra a Fortaleza Slow Food do Baru

Horário: 8h30min
Local: Fazenda Custódio Santos, a 25 km de Pirenópolis.
Valor por pessoa, incluindo transporte: R$ 40,00
Número máximo de 25 participantes
Reservas: (62) 3331.1388/(62) 8142.0369 ou e-mail katia_karam@hotmail.com

18 de Setembro - Domingo

APRENDENDO COM SEU GERALDO
Visita à chácara Mar e Guerra para conhecer o trabalho realizado por seu Geraldo Veiga, personagem de filme inédito que será exibido na noite de abertura do festival. O passeio inclui um menu degustação com os produtos do local.

Horário: 10h
Local : Chácara Mar e Guerra (a 1 km do trevo de Pirenópolis)
Valor: R$ 20,00 por pessoa
Reservas: (62) 3331.2576 ou giu_musco@yahoo.fr

Na primeira edição do Slow Filme estes 3 convivia também se juntaram, sob a coordenação do Fulvio (Slow Food Campolindo Batatais), para realizar as oficinas sensoriais. Vejam algumas fotos e um relato.

Participe e apóie na divulgação!

Quinta Slow - 1º de Setembro em Brasília

Em Setembro o Chef Slow da Vez será Diego Marques, que propôs um cardápio de dar água na boca.

ENTRADA:

Salada de tomates cereja com queijo, pesto basílico e baru

O Prato: tomates cereja fazem-se acompanhar de tenros cubinhos de queijo minas temperado, regados com pesto basílico e finalizado com crocante de baru.

PRATO PRINCIPAL:

Macarrão Surpresa

O Prato: após uma leve cocção dos rigatonis, interrompe-se seu cozimento e se recheia, um a um, com outras delícias, desde legumes grelhados a nacos de queijo e peito de peru. Dispostos sobre uma camada de molho sugo e depois generosamente regados com creme de pupunha, finaliza-se com parmesão ralado grosso e leva-se a gratinar.

Opção vegetariana: após uma leve cocção dos rigatonis, interrompe-se seu cozimento e se recheia, um a um, com nacos de legumes grelhados e outras delícias. Dispostos sobre uma camada de molho sugo e depois generosamente regados com creme de pupunha, finaliza-se com parmesão ralado grosso e leva-se a gratinar.

SOBREMESA:

Abacaxi grelhado com mel de engenho, raspas de limão e poejo

O Prato: para finalizar o menu degustação, tenras fatias de abacaxi são grelhadas e fazem-se acompanhar de um generoso fio de melado de cana, complementado com raspas de limão cravo e brotos de poejo.

Quando: 1º de Setembro (primeira quinta-feira do mês), às 20h30.

Quanto: R$ 29,90 por pessoa (bebidas não incluídas).

Onde: no Panelinha Restaurante, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070.

As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência. Ao reservar, avise se a sua opção é a vegetariana.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Panelinha.

Participe e apóie na divulgação.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s