Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Estão organizados na forma da Associação dos moradores do Rio Unini (AMORU) e da Cooperativa mista agroextrativista do Rio Unini (COOMARU).

Para acessar a primeira comunidade da região o acesso, saindo de Manaus, é de cerca 20 horas via Rio Negro (em barco regional próprio (motor 114 HP) e 3 horas e 30 minutos de voadeira (motor 40hp) via Novo Airão. As comunidades são relativamentes pequenas e segundo o Plano de Manejo Participativo da RESEX do Unini são “formadas por moradores que vivem na região há um certo tempo e moradores mais recentes; os moradores possuem um baixo nível de escolaridade e uma assistência à saúde precária, reflexos da ausência do poder público municipal e estadual; existe uma forte relação entre estes moradores e a sede dos municípios de Novo Airão e Barcelos, em especial em questões de comercialização de produtos e busca de serviços de assistência social como escolas para filhos mais velhos e assistência à saúde”.

A agricultura, principalmente a produção de farinha, é a atividade econômica mais relevante para a economia local, seguida pela coleta de cipós (titica e timbó). Mais recente vem se destacando a venda de castanha-do-brasil beneficiada e embalada a vácuo e a incipiente produção de farinha de banana-pacovã e banana-maçã. São cerca de 620 pessoas distribuídas em 155 famílias e 138 casas. Nos roçados se destacam a mandioca, banana e abacaxi. Pescam e caçam com regularidade.  As comunidades fazem parte da Reserva Extrativista do Unini, unidade de conservação federal.

A coleta de castanha-do-brasil é realizada por todas as comunidades, os coletores sobem o rio em direção aos acampamentos onde ficam por vários dias na atividade de coleta. Cada família possui o seu castanhal. Após esse período se encontram na usina de beneficiamentos onde secam, descascam e embalam as castanhas. A produção da farinha da banana foi iniciada no mês de maio/2017. As bananas são coletadas verdes, descascadas, cortadas em pequenas fatias, secas e depois trituradas e embaladas. Os produtos são levados até Manaus pela FVA (Fundação Vitória Amazônica), ONG que trabalha em projetos junto as moradores do Rio Unini, os produtos são então comercializados direto para o consumidor.  

 

Estado/Região/Território: Amazonas/Região Norte

Municípios: Barcelos

Referência da Comunidade: José Dioniso Silva -  (92) 99106-1618 - josedionisiosilva1942@gmail.com

 

Esta Comunidade do Alimento foi incluída na rede Slow Food pelo projeto:

logo projeto completa

 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s