Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

As águas dos mangues do Estado de Sergipe, no Nordeste Brasileiro, sempre foram ricas em diversas espécies de caranguejos. Na área de Santa Luiza do Itanhy, em particular, as lagos sempre foram ricos em um caranguejo especial, de pequenas dimensões e de carne saborosa e delicada: o Aratu. A coleta de Aratu sempre foi atividade feminina para subsistência. O crustáceo vive no mangue, em buracos na areia ou dentre ramos de vegetação. Por outro lado, assim como já aconteceu com o caranguejo comum, os coletores de Aratu de Santa Luiza do Itanhy percebem, de ano em ano, a redução da quantidade de aratu em seus manguezais. Este fenômeno é em parte devido à criação intensiva de camarões na área, poluindo os manguezais com a ração usada para a alimentação. Outra razão é também a pesca ou coleta não sustentável dos recursos por parte de alguns coletores da área, que pescam e consomem animais pequenos e fêmeas com ovas. A carne de caranguejo é rica em proteínas, vitaminas e sais minerais e possui baixo teor de gordura.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s