Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Também conhecido como cará-de-corda, cará-de-sapateiro, cará-do-ar, cará-borboleta, inhame-do-ar, é encontrado espontaneamente na região sul do Brasil, cultivado tradicionalmente pelos Quilombolas, caboclos e ribeirinhos, mas desenvolve-se bem em todo país. 

Este cará, de formato de uma moela de ave - e por isto também é chamado de cará-moela é originário da África e Ásia Tropical. Foi trazido pelos povos que foram escravizados no continente Africano no tempo da dominação Europeia, e se adaptou muito bem ao solo e às condições climáticas brasileiras. Há citações nos escritos de Padre José de Anchieta em meados do século XVI quando os escravos ainda eram trazidos clandestinamente para o país, que classificam a família deste tubérculo e suas qualidades.
Pertencente à família das Dioscoreáceas, é uma planta caudiciforme, do tipo herbácea, trepadeira, cujas folhas assemelham-se a corações. Apresenta túberas aéreas, nas axilas das folhas, e também subterrâneas. Ambas são comestíveis, mas as aéreas bem mais apreciadas. 

Seu uso é quase que estritamente doméstico, não sendo é enquadrada como comercial, fator que contribui para sua perda cultural e biológica local. Dentre suas principais qualidades está o fato de ser rica em amido e fonte de betacaroteno, vitaminas C e do complexo B, além de possuir expressivas quantidades de cálcio, fósforo e ferro em sua composição química, o que faz com que o risco de desaparecimento represente a perda de um produto intimamente ligado à agro biodiversidade de populações tradicionais e riquíssimo do ponto de vista nutricional.

É um tubérculo que deve ser consumido cozido ou assado, nunca cru. Após cozido é macio e mantém sua forma. Rende um purê bem liso que pode ser usado em várias preparações como bolos, cremes, sopas, assados, pães e cozidos com carnes. Seu uso culinário se parece muito com o da batata inglesa, sendo que o cará-moela tem um sabor um pouco mais amargo, podendo substituí-la de forma fácil em qualquer preparo. A semelhança também ocorre em valores nutricionais sendo que o cará-moela é um pouco mais rico em fibras e em valor calórico apresentando 70,6 kcal/100g enquanto a batata apresenta 64 kcal/100g. É rico em carboidratos e apresenta ainda proteínas, gorduras, fibras e é uma boa fonte de fósforo. Pode também ser usado em saladas, purê, fritas, bolinhos, rocamboles salgados, sopas, pães, suflês e pratos doces como pudins e bolos.

Captura de Tela 2018-08-27 às 12.14.23.pngCará-moela. Foto: Carlos Demeterco

O cará-moela é um tipo de batata muito versátil. Pode ser utilizado do mesmo modo como a batata inglesa e o inhame, em cremes, soté, sopas e acompanhado em cozidos com carnes. Com este cará também são preparados refogados, purês, saladas, chips, além de pães e bolos.

Indicação: Eduardo Feniman, Marcelo Wilton da Silva Garcia, Rosiléia Aparecida Santos Silveira, Juliana de Morais Ferreira e Danielle Rodrigues de Souza.
Revisão: Carlos Demeterco e Ligia Meneguello
Produto embarcado pelo projeto
logo projeto completa

 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s