Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

O ingá é um fruto muito apreciado em toda a região amazônica, não sendo exclusivo do Brasil. Estudos apontam que possivelmente a domesticação da árvore do ingá-cipó foi realizada pelos ameríndios da Amazônia Ocidental, o que possivelmente explicaria a ocorrência de frutos maiores neste bioma. A árvore do ingá-cipó pode ser encontrada em toda a região da América Tropical, mas é amplamente cultivado e encontrado na Amazônia e também América Central. As plantas dessa espécie arbórea crescem até cerca de 15 a 20 metros de altura, sendo a copa dessa árvore muito ampla e aberta, oferecendo sombras muito agradáveis. A espécie Inga edulis pertence à família das leguminosas e atualmente tem sido bem utilizada em plantios de pomares e manejo agroecológico, como uma boa fixadora de nitrogênio e ótima para fazer sombra.

O fruto é uma vagem verde comprida e retorcida, de cerca de 300g em média, composta por várias sementes envoltas por uma polpa branca aveludada e agradavelmente adocicada. Há registros de vagens de até 2 metros de comprimento, mas o comum é algo entre cinquenta centímetros e um metro. São comumente encontrados em feiras populares em toda a região amazônica.

Inga_edulis,_mature_and_juvenile_Guama_pods_(10108341614).jpegFruto maduro e verde. Foto: Dick Culbert

A árvore pode florescer mais de uma vez ao ano, em média três vezes, podendo chegar em até cinco florações, dependendo da região de ocorrência dos indivíduos da espécie. A frutificação, na região amazônica, é predominante entre os meses de agosto e setembro. As sementes germinam facilmente, muitas vezes ainda no interior do fruto e envolta pela polpa.

Na maior parte dos casos a polpa do ingá-cipó é consumida ao natural, é um fruto que tem uma forte relação com a cultura dos povos da Amazônia, mas somente em tempos recentes os frutos têm sido utilizados de outras maneiras que não apenas para o consumo ao natural como preparação de doces, geleias, cremes e sorvetes.

É necessário o fortalecimento do produto na região, como reconhecimento de um fruto que faz parte das raízes da Amazônia, para que seja utilizado também para produção dos frutos e não tenha apena um viés produtivista para cultivos agrícolas. Não há amplos cultivos comerciais, sendo que o ingá-cipó é encontrado principalmente em quintais manejados pela agricultura familiar, caracterizada como detentora dos recursos genéticos da espécie. Além disso, é uma importante espécie da flora melífera, sendo muito visitada por abelhas nativas sem ferrão.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s